quinta-feira, 24 de setembro de 2009

DOUTRINA DO PERDÃO

DOUTRINA DO PERDÃO
Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus em Cristo, vos perdoou.. (Efésios 4:32)

INTRODUÇÃO
Perdoar é um dos atos básicos da fé cristã. Nossa entrada na nova vida oferecida por Cristo, só foi possível porque recebemos perdão de nosso Deus e Pai. Ele nos perdoou mediante a obra de Seu Filho feita na cruz em nosso favor.
 O perdão de Deus pôs fim à situação desastrosa que nosso pecado nos colocou:estávamos condenados à morte.
 Deus nos chamou para uma nova vida onde o amor e o perdão tem sua máxima expressão.
 O perdão restaurou nosso relacionamento amoroso com o Pai.
 O perdão de Deus, deve gerar em nosso coração o desejo de perdoar incondicionalmente, tal como Ele fez conosco

 Perdoar significa deixar de considerar o outro com desprezo ou ressentimento. É ter compaixão, deixando de lado toda a idéia de vingar-se daquilo que foi feito ou pelas conseqüências que sofremos.

ALGUMAS REFLEXÕES BÍBLICAS SOBRE O PERDÃO

1. O QUE DIZ A BÍBLIA SOBRE PERDÃO

a) Mt.18:21,22 – “Então Pedro, aproximando-se dele, disse: Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete?
Jesus lhe disse: Não te digo que até sete; mas, até setenta vezes sete.
b) Mt.6:15 – “Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas.
c) Mt.18:35 – “Assim vos fará, também, meu Pai celestial, se do coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas.
d) Mc. 11:25 – “E, quando estiverdes orando, perdoai, se tendes alguma coisa contra alguém, para que vosso Pai, que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas.

2. ENTENDENDO O PERDÃO NA PRÁTICA

“Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também.” (Cl.3:13)
a) A premissa básica: Somos perdoados.
b) A atitude fundamental: Devemos perdoar
 Perdoar é um mandamento da Palavra de Deus. Não é um sentimento nem depende de nossa vontade ou emoção.

3. ONDE RESIDE NOSSA DIFICULDADE EM PERDOAR

a) Nossa concepção de pecado
> O que nos é aceitável ou não (conveniente) (Mt.6:1)
“GUARDAI-VOS de fazer a vossa justiça diante dos homens, para serdes vistos por eles; aliás, não tereis galardão junto de vosso Pai, que está nos céus.”
> O que é melhor em nós do que neles (comparação) (Rm.3:9-10)
“Pois quê? Somos nós mais excelentes? De maneira nenhuma, pois já dantes demonstramos que, tanto judeus como gregos, todos estão debaixo do pecado;
Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer.
b) Nossa concepção de perfeição
- Sou melhor do que todos (Pedro e a negação de Jesus)
- Eu jamais faria tal coisa (Paulo e o que pensa que está de pé)
> Para termos concepções corretas, precisamos entender o que é pecado, biblicamente:
a) Rebeldia ( 1 Jo.3:4) – “Qualquer que comete pecado, também comete rebeldia; porque o pecado é rebeldia.”
b) Injustiça ( 1 Jo.5:17) – “Toda a injustiça é pecado, e há pecado que não é para morte.”
c) Mal de todos (Rm.3:23) – “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;”

CONCLUSÃO

Concluímos com duas atitudes que cada crente deve ter em relação ao perdão.

Crer no perdão ( Sl.32:1, 2,5) “BEM-AVENTURADO aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto.
Bem-aventurado o homem a quem o SENHOR não imputa maldade, e em cujo espírito não há engano.
Confessei-te o meu pecado, e a minha maldade não encobri. Dizia eu: Confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu pecado.

Perdoar ( Mt.6:12) – “E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores;”

Nenhum comentário:

Postar um comentário